Aparelho dentário: qual a melhor idade?

Aparelho dentário: qual a melhor idade?
Imagem: Google

Aparelho dentário: qual a melhor idade?

Olá, queridas leitoras do Mãe em Festa!

Sinto-me honrada em poder usar este canal lindo para trazer um pouco de informação sobre os dentinhos dos pequenos para vocês.

Como mães, estamos sempre preocupadas em oferecer o melhor para os nossos filhotes, em todas as áreas das vidinhas deles, não é verdade?

Por isso, vamos conversar um pouco sobre qual a melhor idade para iniciar um tratamento com aparelhos dentários.

Muitas mães me fazem esta pergunta, e a resposta é: depende!

Por mais incrível que possa parecer, grande parte dos problemas de dentição podem ser detectados pelo especialista antes mesmo da queda do primeiro dente de leite.

Assim, mesmo que isto não signifique que o tratamento deva ser iniciado imediatamente, crianças a partir dos 5 anos podem e devem ser levadas ao Ortodontista ou Ortopedista Facial.

Aos 6 ou 7 anos começam a nascer os primeiros dentes permanentes, os molares, que crescem atrás dos últimos dentes do fundo, sem que nenhum dente de leite caia (atenção, mamães!) e alguns procedimentos preventivos podem ser iniciados, como o início da expansão do céu da boca, que pode ajudar, por exemplo, na melhora da respiração do seu filho.

A partir daí são recomendadas consultas anuais para monitorar a troca dos dentes de leite pelos permanentes, avaliar se há quantidade de espaço suficiente para todos e checar se a relação entre as arcadas superior e inferior está adequada.

Caso seja necessário, o tratamento interceptativo é muito mais fácil e rápido nesta fase do que se esperada a adolescência, e pode poupar os pequenos pacientes de intervenções mais complexas no futuro, como extrações de dentes e cirurgias.

Que mãe gostaria de ver seu eterno bebê passando por isso?

O investimento em consultas de prevenção é importante porque, com o exame precoce, o especialista tem condições de planejar qual o momento ideal para iniciar um tratamento e quais os aparelhos mais adequados para que se consiga o melhor resultado, no menor espaço de tempo e custo financeiro possível.

Nestas primeiras avaliações também podem ser identificadas alterações no posicionamento da língua e na forma de engolir, e hábitos ruins como chupar dedo, bico ou respirar de boca aberta, que podem comprometer o bom desenvolvimento da criança.

Caso seja necessário, o dentista ainda poderá indicar o acompanhamento de um fonoaudiólogo ou uma avaliação com um médico otorrinolaringologista, tudo para que seu filho cresça saudável e se desenvolva adequadamente!

Que tal aproveitar as férias para levar o pequeno a um especialista e contribuir para que o mundo de amanhã seja repleto de lindos sorrisos? 😉

Dra. Cosétti Bonfadini

CRO-RS 13370
 
Cirurgiã-Dentista Especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial
Especialista em Disfunção Temporomandibular e Dor Oro-Facial
Aparelho dentário: qual a melhor idade?

 

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.